Avançar para o conteúdo principal

Reviver o Teatro 65 anos Depois - Casais de Revelhos



São muitos os talentos escondidos no meio desta aldeia dos Casais de Revelhos, perdidos na lavoura, no trabalho doméstico, na cuida e acompanhamento dos filhos e netos, no trabalho por conta de outrém, na função pública ou privada, mas são dez corações apaixonados pela arte dos palcos que se enchem de coragem para se deixar levar por aquilo que lhe faz brilhar de verdade os olhos: a arte de representar.

São eles: José Baptista, Rosa de Jesus, Maria Amélia, Daniel Alpalhão, Idaleta de Matos, Elvira de Matos, Maria José Chambel, Francisco Alpalhão.


Encenadores: Graça Florêncio e Mafalda Batista



Música: Miguel Alberto da Silva Lopes


São na verdade um grupo de gente cheia de alma e criatividade, que se fecha humildemente entre quatro paredes durante meses, todos as semanas num dia à noite, para ensaiar, falar, escrever rimas e fazer músicas, escolher os temas que irão a palco, ensaiar, comer, beber, cantar e dançar..., pois bem divertir-se.

 
Esta atividade foi introduzida nos Casais de Revelhos, na década de 50 do século,  por um grupo de pessoas entre elas o Ti Carlos e o  Eduardo Venâncio passado como uma forma de entretenimento e diversão.
O programa do “Reviver o Teatro nos Casais 65 anos depois” é :
1- Poema, Mª José, 2 - Marcha de entrada, todos, 3 - O homem que sabia demais, Francisco, 4 - O esfarrapadinho, Mª Amélia, 5 - Mezuras, Daniel, 6 - O preto, Elvira e Idaleta, 7 - Maria Virgínia, Mª Virgínia, 8 - Moleirinha, Rosa, 9 - Bandeira de Portugal, Mª José, 10 - Eclipse, Francisco e Daniel, 11 - Cachopa da fonte, Senhoras, 12 - Senhora da Conceição, Mª José, 13 - Quinta feira da Ascensão, Idaleta,
INTERVALO
14 - Despique de namorados, Mª Amélia e Elvira, 15 - Os Velhinhos, José e Mª José, 16 - Rendeiro, Rosa, 17 - Fingi que morri, Francisco, 18 - Samaritana, José e Rosa, 19 - O meu relógio, Daniel, 20 - Improviso, 21 - Maria são teus olhos azeitona, Senhoras, 22 - Raio X, Francisco, 23 - Cantiga da Rua, todos.
 
Somos uma aldeia que tem mais passado para deixar ao futuro, por isso preservamos as tradições e os costumes, e  partilhamos com quem as voltou a valorizar e está disposto a conhecê-las.

Assim quer  faça sol, chuva, vento ou granizo cá estamos todos nesta sede da nossa sociedade, lado a lado neste trilho, num caminho enfeitado pelo brilho da representação...


Um bem haja a todos,
"As mentes que se abrem a novas ideias,  jamais voltarão ao seu tamanho inicial" 
Adapatado de Albert Einstein



Comentários

Mensagens populares deste blogue

5º Passeio Convivio de Motorizadas

Sábado 6 de Maio, no Recinto das Festas dos Casais de Revelhos, realiza-se o 5º passeio convívio de motorizadas e motos antigas, uma iniciativa promovida pela parceria Sociedade Recreativa Pró Casais de Revelhos, Ranho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos e os Motomíscaros dos Casais de Revelhos que procuram manter velhas tradições e evidenciar a paixão pelos antigos motociclos e ciclomotores, que foram os principais veículos de transporte de tantos revelhenses, em tempos mais recuados.
O evento conta também com um almoço convívio onde será servida a bela da sopa de pedra, e para queimar as calorias a partir da tarde vamos todos a uma aula de Zumba ministrada pela Vera Serra.

Com a realização deste passeio convívio,  a parceria Sociedade Recreativa Pró Casais de Revelhos, o Ranho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos e os Motomíscaros dos Casais de Revelhos, vêm assim concretizado o seu principal objectivo, que é proporcionar um excelente convívio entre os amantes da…
Lagares e Azeite em Casais de Revelhos Serões e Memórias de Aldeia No âmbito dos Serões e Memórias de Aldeia, a secção de “os amigos da aldeia” tem o prazer de vos anunciar um novo evento no dia 01 de Dezembro, sobre  esta actividade milenar e ancestral de se produzir azeite.
Os historiadores acreditam que a oliveira já era cultivada, por volta do ano 3500 a.C. O azeite era usado não só como ingrediente culinário, mas também para fins tão diversos como a medicina, a iluminação e a impermeabilização de tecidos.
O Azeite esteve sempre presente nos recantos da vida diária dos portugueses: na candeia do pobre e no candelabro do rico, na mesa frugal do camponês e nos solenes templos de velhos cultos.
A dureza do inverno, por vezes traduzida em camadas de geada que pintam a paisagem de branco, marca a apanha da azeitona (tem origem no termo árabe az-zaituna), tradicionalmente realizada nos meses de novembro e dezembro.
É preciso varejar as oliveiras, caindo a azeitona sobre os panos estend…
75º Aniversário Sociedade Recreativa Pró Casais de Revelhos Celebrar o trajecto e obra desta colectividade, e recordar todos os que ajudaram a percorrer este caminho é para todos motivo de satisfação e orgulho.  Com carga simbólica importante, a Sociedade Recreativa Pró Casais de Revelhos foi criada por um grupo de pessoas que não tendo alternativas culturais e recreativas na aldeia, juntaram-se para iniciar esta colectividade.

Celebrou no dia 06 de Novembro de 2017 os 75 anos de existência, pelo que a sua comissão administrativa teve o prazer de convidar toda a população (sócios e não sócios), mostrando a todos as actividades que esta sociedade tem vindo a realizar, com o forte apoio e motivação das suas secções dos Amigos da Aldeia, do Grupo de Dança Jovem e a secção de futebol.

Para comemorar esta data a sede esteve aberta das 10H00 às 23H00, com serviço de bar e oferta de Café de cafeteira e peixe do rio frito (oferecido e confecionado pelo Sr. Manuel Esquerdo).